2012-11-14

Ainda a casa cor-de-rosa às florzinhas

Nem às florzinhas nem de cor nenhuma. Da maneira como isto está não se pode mesmo andar a gastar dinheiro em bens que à partida não são necessidades de primeira ordem, mas sim meros caprichos. Ora desde quando papel de parede faz falta numa parede pintadinha de branco? Desde nunca não é verdade?! Desde quando mais tapete ou menos tapete, mais armário ou menos armário é assim tão importante?!
Portanto menina Martinha vamos lá ter contenção nas despesas (olhó Vítor Gaspar na minha consciência, cum caraças!). De manhã, depois de rezares o anjo da guarda, não te esqueças de repetir para ti mesma onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios...