2011-11-04

Na minha mesinha de cabeceira está pousado um livro de crónicas de José Saramago "Deste Mundo e do Outro". Ontem, antes de adormecer, mergulhei nas palavras de Saramago e na página 135 estava escrito o seguinte: "... não há outro caminho senão aquele em que podemos reconhecer-nos em cada gesto e em cada palavra, o da resistente fidelidade a nós próprios."
Está tudo dito. E quando está tudo dito não há mais nada a acrescentar.
Fazendo minhas as palavras de Saramago, termino dizendo "Deu-me para aqui hoje, leitor. Tenha paciência e vire a página".

2011-11-02

"Na verdade, a vida é tão plural e tão complexa que, em vez de a gerirmos, deixamo-nos levar por ela. É por isso que não é a falta de tempo que impede os pais de serem brincadores. São as suas prioridades. E porque muitos não foram o melhor dos brinquedos para os seus pais, são as crianças abandonadas que vivem em si quem os leva a nunca se imaginarem em primeiro lugar para ninguém e a não colocarem, no dia-a-dia dos seus gestos, os filhos como prioridade. Por mais que isso contrarie os seus anseios, são elas quem lhes mostra como o amor tem limites."

                                                      Crónica de Eduardo Sá - Pais & Filhos

Pode ler esta crónica muito bem escrita pelo Drº Eduardo Sá aqui. Não se esqueça de a ler na totalidade. São duas páginas e vale mesmo muito a pena.