2013-11-15

Norah Jones

As Palavras
"As palavras são boas. As palavras são más. As palavras ofendem. As palavras pedem desculpa. As palavras queimam. As palavras acariciam. As palavras são dadas, trocadas, oferecidas, vendidas e inventadas. As palavras
estão ausentes. Algumas palavras sugam-nos, não nos largam: são como carraças: vêm nos livros, nos jornais, nos slogans publicitários, nas legendas dos filmes, nas cartas e nos cartazes. As palavras aconselham, sugerem, insinuam, ordenam, impõem, segregam, eliminam. São melífluas ou azedas. O mundo gira sobre palavras lubrificadas com óleo de paciência. Os cérebros estão cheios de palavras que vivem em boa paz com as suas contrárias e inimigas. Por isso as pessoas fazem o contrário do que pensam, julgando pensar o que fazem. Há muitas palavras.
(...)
Há também o silêncio. O silêncio, por definição, é o que não se ouve. O silêncio escuta, examina, observa, pesa e analisa. O silêncio é fecundo. O silêncio é a terra negra e fértil, o húmus do ser, a melodia calada sob a luz solar. Caem sobre ele as palavras. Todas as palavras. As palavras boas e as más. O trigo e o joio. Mas só o trigo dá pão."

José Saramago in "As palavras"

2013-11-12

Olá bom dia

Nem sempre a vida é perfeita. Nem sempre ela corre como nós desejamos. Há dias imperfeitos. Há dias em que o que apetece mesmo é deixar que ela corra e se auto ajuste. O que nós podemos fazer para transformar a rotina em dias especiais? Subscrevendo uma frase do poeta Khalil Gibran, citada por Laurinda Alves "não perguntes à vida o que ela te pode dar, pergunta a ti próprio o que podes dar à vida" transparece exatamente a atitude que devemos tomar para vivermos cada dia de consciência tranquila, com as ideias ordenadas, com poucas ambições, apenas as necessárias que nos permitam levar uma vida minimamente feliz, em paz connosco e com os outros.

2013-08-26

É sempre a mesma história. Mais meios no combate a incêndios. Mais investimentos a jusante. Sempre a jusante. Nunca iremos conseguir travar este flagelo se pensarmos sempre desta forma.
Dêem penas perpétuas a incendiários que comprovadamente cometeram o crime. Dêem-lhes penas perpétuas com trabalhos forçados. Dêem-lhes penas exemplares que inibam outros de continuar a praticar este crime e vão ver se isto acaba ou não acaba. Neste campo, Portugal precisa de aprender muito com os EUA.

2013-06-18

"Temos o dever de ajudar os nossos filhos a escolherem o seu próprio caminho, em vez de os condicionar ao caminho ideal que desejámos para nós. De nos preocuparmos menos em transformá-los em entidades produtivas. De nos preocuparmos mais em que sejam pessoas felizes e equilibradas."

                                  Teresa Marta 

2013-06-13

Excerto

lover | via Facebook"
"Peguei no cesto dela e continuámos, e os seus passos soavam em uníssono com os meus, a sua alegria harmonizava com a minha, e a floresta murmurava delicada e fresca pelos montes abaixo. Eu nunca sentira tanto prazer em caminhar. Durante um longo pedaço cantei cheio de alegria, até que tive de parar, de tão transbordante plenitude: eram coisas demasiadas as que o vale e o monte, as ervas, as folhas e os arbustos me sussurravam e murmuravam.
E considerei então: se conseguisse abarcar e cantar todas estas canções ao mesmo tempo, as das ervas e das flores, as das pessoas e das nuvens, e de tudo, a floresta e o pinhal, e também as de todos os animais, e ainda todas as canções dos mares longínquos e montanhas, das estrelas e Lua, e se em mim tudo pudesse ecoar e cantar a um só tempo, eu seria então o próprio Deus, e todas as novas canções teriam de ficar no céu como uma nova estrela."

Hermann Hesse in "Sonho para uma flauta"

Excerto

♥ Je t'aime
«Antes de julgares uma pessoa, caminha durante três luas com os seus mocassins. (...) Vistas de fora, há muitas vidas que parecem falhadas, irracionais, loucas. Enquanto se está de fora, é fácil compreender mal as pessoas, as suas relações. Só de dentro, só caminhando durante três luas com os seus mocassins é que se pode compreender as motivações, os sentimentos, aquilo que faz agir uma pessoa de uma forma e não de outra.»

                   Susana Tamaro in "Vai aonde te leva o coração"
Esperem pelo minuto 15. É simplesmente a canção mais linda que ouvi nestes últimos tempos

2013-05-31

Dia da criança

"Só é possível ensinar uma criança a amar, amando-a."

                             Johann Goethe

531093_451936044874375_1075884016_n_large

2013-04-23

Toda a energia que se gasta a praticar exercício físico podia ser utilizada  a fazer coisas mais úteis...
Quando vejo aqueles adeptos de alguns clubes de futebol, aqueles que se portam muito mal e que eu desejo profundamente que a polícia lhes casque sem dó nem piedade, penso na inutilidade daqueles músculos... Tanto terreno por esse Portugal fora para eles sacharem valha-me Deus!

2013-04-16

forty-two!

Parabéns para mim
Nesta data querida
Muitas felicidades
Muitos anos
De vida

Hoje é dia de festa
Cantam as nossas almas
Para a menina Martinha
Uma salva de palmas

Tenha tudo de bom
que a vida contém
Tenha muita saúde
E amigos também

 ^.^ | via Tumblr
"A vida é um milhão de novos começos
movidos pelo desafio sempre novo de
viver e fazer todo sonho brilhar.
Aproveite cada dia para desfrutar das
coisas boas que fazem você feliz e que
a sua vida seja um mar cheio de
emoções alegrias e conquistas."


Thank you. Martinha.

2013-04-12

Já conhecem este blog? Pois... então se não conhecem deviam conhecer. Ela tem umas mãos de ouro e faz trabalhos fantásticos. Para além de professora e mãe, também se dedica à bijouteria, à pintura e até ao restauro de móveis antigos. E é acima de tudo uma ótima pessoa.
Florzinha  tu mereces.

2013-04-10

Quando os miúdos são pequenos {digo escola primária} obrigam-nos a usar calculadora, têm de a levar sempre para a escola, usam e abusam dela com a complacência da professora e do Ministério da Educação. Agora aos 15 anos e no 9º ano, os miúdos preparam-se para fazer um teste intermédio de matemática onde o uso da calculadora só irá ser permitido durante os 30 primeiros minutos, dos 90 que a prova dura. Alguém entende os adultos? São desacreditados a todo o instante!
Em boa verdade a ideia até nem está má, mas digamos que convém que haja um período de adaptação em vez de lhes caírem assim em cima quase de surpresa. Podem começar por proibir as calculadoras logo desde a escola primária e depois ao longo do percurso escolar usá-las só em determinados cálculos.

2013-04-05

Ritmos portugueses que gosto de ouvir, mas gosto ainda mais de os dançar ahahahah! Esperem pelo momento 1:33...

2013-04-04

Já vos disse que adoro este blog?

Uma perspetiva muito profunda que me preenche, que chega até a arrepiar-me e que também me consola em dias menos bons. Grande sensibilidade e inteligência perante as coisas simples da vida.
Identifico-me muito com todos estes textos.

«Toda a criança devia ter direito ao sossego e ao silêncio, a não ser asfixiada, bombardeada, entupida. Toda a criança devia ter direito a não ver satisfeitas necessidades que nunca manifestou. Que linda, que gira, queres colinho, anda que te dou uma coisa bonita, anda, anda, anda! Que linda!  Toda a criança devia ter direito a não ser tratada como um macaquinho amestrado. Olha, dança para as senhoras verem que tu danças tão bem, dança, olha como a mamã faz, faz igual, dança, dança para as senhoras verem. Toda a criança devia ter direito a tempo para pensar, para responder, para afirmar e para negar. Diz olá, diz olá aos senhores, diz olá, diz! Olha o senhor a dizer-te olá, diz olá também! Olá, olá! Toda a criança devia ter direito a não comer bolachas e a não receber um presente por cada gracinha. Queres uma bolachinha? Queres uma bolachinha? Toma uma bolachinha, toma uma bolachinha, anda cá comer uma bolachinha. Come a bolachinha, vá, meu amor! Bolachinha booaaaaa! Toda a criança devia ter direito a preservar a sua natureza essencial, simples e pouco exigente. Dá tanto trabalho, tanto trabalho a minha menina... Mas é linda! E toda a criança devia ter direito, sem punição, a fazer uma birra de atirar as paredes abaixo e largar a correr quando lhe hipotecam a alma a pretexto do amor e da educação. Toda a criança devia ter direito a ser mais, muito, muito mais, do que o mero orgulho dos seus papás por se cumprir conforme sonharam. É uma alegria que compensa tudo!»
 
Diretamente daqui.

2013-03-28

A minha mãe já fez empadas da Páscoa. Quer isto dizer que está aberta oficialmente a época pascal. Ai meu Deus quentinhas, sabem que é um regalo. Se fosse só isto, mas é isto e muito mais. Boa Páscoa para todos os que me seguem. Quanto a mim, hoje já não vai dar, mas amanhã quero ir a uma das procissões da semana santa, à minha terra natal. Beijinhos com amizade.

2013-03-14

Contra a gordura marchar, marchar

Mãe cusca

Ontem filho tirou 100% no teste de físico-química. Mãe orgulhosa que só eu sei ser, tratou logo de fazer perguntas várias sobre as notas dos colegas. Filho esgota a paciência e interpela-me:

- Maaãee sabes porque é que as tartarugas vivem mais de cem anos?
- Não filho.
- Porque não se metem na vida dos outros.
- Hã!

E é assim que se põe uma mãe nos eixos.

«Um caminho de fraternidade, amor e confiança entre nós»

Renascença V+Ver todos os videos
As primeiras palavras de Francisco.
Fumo branco ao segundo dia de Conclave
Rádio RenasceçaMais informação sobre este video

2013-02-25

A minha opinião converge literalmente com a desta senhora

Sim, era por isto que eu era completamente viciada na Gabriela.
Sim, é por isto que eu não vejo telenovelas portuguesas.
 
 
«O impacto de uma protagonista feminina e livre de pudores sociais e morais foi tal, que antes da estreia deste remake ainda havia quem se lembrasse de certas falas. É certo que não é a mesma coisa do que ler um livro, mas também é certo que Jorge Amado nunca sonhou que a crítica à sua cidade natal fosse disseminada desta forma.
Seria bom que os guionistas e argumentistas portugueses enveredassem por este tipo de adaptação. Creio que daqui a pouco tempo esta será a única forma de dar a conhecer aos jovens determinadas obras. Que eu conheça, houve apenas uma adaptação de três obras de Camilo Castelo Branco (Amor de Perdição, Mistérios de Lisboa e Livro Negro do Padre Dinis). A produção luso-brasileira passou na RTP e chamou-se Paixões Proibidas.
A naturalidade dos diálogos, que os portugueses não conseguem igualar, é fácil de perceber. Os autores brasileiros fazem uso de estereótipos e lugares-comuns, fazendo a sua crítica à sociedade e educando, alertando sempre para fenómenos como a gravidez na adolescência, as DST, a violência doméstica, a acessibilidade, a corrupção política, as drogas, etc.
Os autores portugueses imaginam um mundo de betos e tias, onde toda a gente se trata por você, com o qual ninguém se identifica, e sem qualquer conteúdo.
Em relação aos diálogos da Gabriela, retive este:
“- Olha, Nacib. Dou-te aquela estrela.
- Uma estrela?
- Uma estrela, Nacib. Aconteça o que acontecer, ela estará lá. Sempre. Quando olhares para ela, lembra-te de mim. Mesmo que esteja longe. A estrela é tua. O brilho da estrela é teu. É para sempre.”
Romântico, bonito e desprendido. Algo que se quer, nos dias que correm.»
 
Tirado daqui. Do blog Delito De Opinião.

2013-02-13

"Sinto-me como uma semente no meio do inverno, sabendo que a primavera se aproxima. O broto romperá a casca e a vida que ainda dorme em mim haverá de subir para a superfície, quando for chamada. O silêncio é doloroso, mas é no silêncio que as coisas tomam forma, e existem momentos em nossas vidas que tudo que devemos fazer é esperar. Dentro de cada um, no mais profundo do ser, está uma força que vê e escuta aquilo que não podemos ainda perceber. Tudo o que somos hoje nasceu daquele silêncio de ontem. Somos muito mais capazes do que pensamos. Há momentos em que a única maneira de aprender é não tomar qualquer iniciativa, não fazer nada. Porque, mesmo nos momentos de total inação, esta nossa parte secreta está trabalhando e aprendendo. Quando o conhecimento oculto na alma se manifesta, ficamos surpresos connosco mesmos, e nossos pensamentos de inverno se transformam em flores, que cantam canções nunca antes sonhadas. A vida sempre nos dará mais do que achamos que merecemos".

Kahlil Gibran

2013-02-08

lalalalalala

Há dias que me apetece ouvir esta voz tão descontraída, tão melodiosa. Dá a ideia que cantar para ela é quase como se estivesse a falar, sem esforço absolutamente nenhum. Não é fantástico? Parece que vai lançar um novo álbum ainda este ano, depois de ter sido mãe duas vezes. Fico a aguardar.

2013-02-04

Cinema a três

Apesar de compromisso de filho, marido queria a todo o custo fazer um programa de Sábado à noite. Lá fomos nós e filho vê-se obrigado a faltar a uma obrigação que o prende sempre nesse dia. Jantar divinal e o cinema com pipocas escolhido foi "O Impossível". Ía com as expetativas em baixo pensando que seria mais um daqueles filmes de treta, com um tsunami, com o mar a arrastar uma família feliz, mas entretanto eles salvariam-se todos e seriam novamente felizes para sempre. Oi, fui deveras surpreendida com as emoções que se vivem naquele filme.  A força e o poder que o amor de uma família  pode ter. É ela que nos faz relembrar que o Amor existe mesmo, sendo certo que quando há a perceção de que toda ela esteve mergulhada no caos quer físico, quer emocional, a fragilidade do ser humano vem ao de cima e esta retrospetiva nítida de tudo o que se passou e as possíveis consequências negativas, hão-de fazer sempre chorar.

2013-01-30

Excerto


 
" ... possuía um espírito sonhador com vontade de escrever contos, uma nostalgia constante que pretendia ligar a insignificante vida diária à grandiosa vida que é apresentada em canções e pinturas, em belos livros e nas tempestades que ressoam nos bosques e nos mares. Não a contentava a ideia de que uma flor fosse apenas uma flor, que um passeio fosse apenas isso mesmo. A flor deveria ser uma sílfide, um espírito dotado de beleza e sujeito a uma metamorfose igualmente bela, ao passo que um passeio não seria um mero exercício físico praticado por obrigação ou com intuitos recreativos, era antes uma apreensiva viagem em busca do desconhecido, um contacto com o vento e os ribeiros, uma conversa com as coisas mudas."


Hermann Hesse in "Música"

2013-01-29

Em leitura

No livro "A Saúde Também Se Educa" de Manuel Martins Fernandes deparei-me com um parágrafo, aliás o último do livro na página 270, que diz assim: « Lembremo-nos de que sempre que cuidamos dos outros com espírito de abnegação e altruísmo estamos a curar-nos e a tratar-nos das nossas próprias fraquezas e debilidades psíquicas, ou seja, estamos a ocupar-nos da nossa realização pessoal e social».
Grande verdade esta, embora não pareça.

2013-01-24

Em dois dias de neve sem aulas

piqueno (que já é grande) cá de casa ensopou-se, literalmente todo, mas mesmo todo, em água duas vezes. Uma vez em cada dia. Felizmente a chuva que caiu derreteu-a toda e as brincadeiras entre amigos com um trenó e bolas de neve chegaram ao fim. Ufa! Nem quero imaginar se a neve persistisse!
Independentemente do número de vezes que ele se molha ou se suja o importante é que ele cresça feliz com recordações boas que lhe fiquem para a vida e isso deixa-me feliz também.

2013-01-22

E a neve cai, cai de mansinho

Uma leve camada branca cobre o chão, contrastando com o castanho adormecido de algumas árvores, dormem com certeza o sono dos justos indiferentes ao frio, ao vento e à neve que suavemente lhe cai em cima.
A neve tem tanto de bonita como de chata.

2013-01-11

Shame on me

Vou ser sincera e dizer-vos que ando sem paciência nenhuma para escrever aqui por estes lados! A partilha do que quer que seja aqui na net deixou de ser prioritária. Guardo o melhor e o pior para mim! Este maravilhoso mundo encantado deixou de brilhar tanto assim. Anda um pouco fusco. Melhores dias virão. Quero acreditar que sim! Até lá sejam felizes! Martinha

2013-01-04