2012-01-26

cenas!

conversa ouvida hoje na rádio:
"- dez e pico é o mesmo que dez e tal?
 - não, eh pá, dez e pico devem ser p`ra aí dez e um quarto, e dez e tal devem ser quase as onze, tás a ver.
 - não, quase as onze, já são onze menos qualquer coisa, já não são dez e tal."

posto isto, os meus maxilares não aguentaram a ordem vinda do cérebro para uma valente gargalhada e a cena tramada é que também ía a conduzir e acabei por não ouvir a conclusão da conversa. xii, que pena.

2012-01-25

Ainda no rescaldo

Pois sim Srº Presidente, em primeiro lugar deixe-me congratulá-lo pela sua carreira académica e profissional que tem tido ao longo da sua vida, pois que estudou e se esforçou e portanto, logicamente merecerá mais que aqueles que preguiçaram durante o tempo que deveriam estudar. Congratulá-lo ainda por ter tido a humildade de abdicar do ordenado enquanto Presidente da República, pois que outra pessoa qualquer não o teria feito.
Mas a vitimização no plano das necessidades (básicas!), é algo que não lhe assenta bem. De todo. Até Maslow ficaria irritado consigo, quanto mais as famílias que perderam, e aquelas que continuam a perder, os seus empregos e não conseguem sequer fazer face à compra de bens elementares de primeira necessidade e cujo o espectro da fome começa a pairar sobre as suas cabeças e já é uma realidade em crianças que vão à escola, segundo notícias divulgadas recentemente.
Sendo assim Srº Presidente da próxima vez que falar aos portugueses coloque-se no lugar de um qualquer cidadão do nosso país, que poderá não ter o que comer e só de ouvir falar em 10 mil euritos por mês (fonte: aqui), coisa pouca, desejaria, ao menos, ganhá-los num ano.