2014-08-20

´O Verão`

«No Verão devíamos, não por imposição legal mas por serena disciplina interior, ser obrigados a perder-nos. A perder-nos no que nos rodeia. A mergulhar mais fundo em nós. No que está perto. No que está ao alcance de um toque, de um olhar, de um cheiro, de um sabor. O Verão devia chamar-se a estação dos perdidos e achados. Porque muitas vezes - tantas vezes - só perdendo nos encontramos. Como os tesouros que o mar perde para nós acharmos.»

                                                      O Verão in http://deixaentrarosol2.blogspot.pt/

2014-07-14

"Ser sensível neste mundo requer muita coragem. Muita. Todos os dias. Esse jeito de ouvir além dos olhos, de ver além dos ouvidos, de sentir a textura do sentimento alheio tão clara no próprio coração e tantas vezes até doer ou sorrir junto, com toda a sinceridade. Essa sensação, de vez em quando, de ser estrangeiro e não saber falar o idioma local, de ser meio ET, uma espécie de sobrevivente de u...ma civilização extinta. Essa intensidade toda em tempo de ternura minguada. Esse amor tão vívido em terra em que a maioria parece assustar-se mais com o afeto do que com a indelicadeza. Esse cuidado espontâneo com os outros. Essa vontade tão pura de que ninguém sofra por nada. Esse melindre de ferir por saber, com nitidez, como dói se sentir ferido."
__Ana Jácomo
 

2014-02-18

The National - Fireproof [lyrics]


Pensar

«Não julgues que estreitaremos laços por repetires a toda a hora penso exatamente como tu. A afinidade é uma coisa anterior e muito superior à consonância de opiniões. E, de resto, ninguém pensa exatamente como, porque ninguém vive exatamente como. Um pensamento é o produto de uma experiência digerida, não uma simpatia teórica.»

                                      Pensar in mãe preocupada.

2014-01-31

Pressa para quê?

"Perdemos muito tempo. Com coisas menores, com pressa. Pressa para quê?
A nossa vida é, na verdade, um micro mundo, onde os pontos cardeais são as pessoas que nos são importantes. Tentamos não ter de ter tantas saudades delas, quando não estão por perto, tentamos que elas sintam que gostamos mesmo delas, tentamos uma organização básica dos nossos dias, que faça com que as nossas rotinas nos criem uma zona de conforto. Que saibamos com quem contamos, que tenhamos horários padrão, que haja um fio condutor qualquer que faça com que não percamos o pé.
Que os nossos fracassos nos ajudem, nunca perdendo aquela força que vem da ideia de que o que não nos correu bem não nos pode parar e que há que aprender e tentar melhorar, com todo o empenho, sempre. E procurar ajuda, se for preciso. Acreditar nas pessoas e no seu gostar de nós. Exercer o nosso gostar das nossas pessoas, sem reservas é uma saudável tentativa de vida boa.
E quando nos fazem mal, quando somos injustiçados, mal tratados, quando abusam da nossa boa vontade, ou da nossa ingenuidade, é bom ter presente que toda a maldade é fútil. Até porque, um dia, morreremos. Não há volta a dar.
Se fosse hoje, ou amanhã, ou depois? Estaríamos plenamente satisfeitos com o ponto em que estávamos no nosso ultimo segundo? Ou diríamos: se eu soubesse..."

                                                          Pedro Ribeiro in Dias úteis.

2014-01-17

[Olá, bom dia]

"A Menina pôs a sua cabeça dentro do cálice da rosa e respirou longamente.
Depois levantou a cabeça e disse suspirando:
- É um perfume maravilhoso. No mar não há nenhum perfume assim. Mas estou tonta e um bocadinho triste. As coisas da terra são esquisitas. São diferentes das coisas do mar. No mar há monstros e perigos, mas as coisas bonitas são alegres. Na terra há tristeza dentro das coisas bonitas.
- Isso é por causa da saudade - disse o rapaz.
- Mas o que é a saudade ? - perguntou a Menina do Mar.
- A saudade é a tristeza que fica em nós quando as coisas de que gostamos se vão embora."

Sophia de Mello Breyner Andresen in "A menina do mar"

2013-11-15

Norah Jones

As Palavras
"As palavras são boas. As palavras são más. As palavras ofendem. As palavras pedem desculpa. As palavras queimam. As palavras acariciam. As palavras são dadas, trocadas, oferecidas, vendidas e inventadas. As palavras
estão ausentes. Algumas palavras sugam-nos, não nos largam: são como carraças: vêm nos livros, nos jornais, nos slogans publicitários, nas legendas dos filmes, nas cartas e nos cartazes. As palavras aconselham, sugerem, insinuam, ordenam, impõem, segregam, eliminam. São melífluas ou azedas. O mundo gira sobre palavras lubrificadas com óleo de paciência. Os cérebros estão cheios de palavras que vivem em boa paz com as suas contrárias e inimigas. Por isso as pessoas fazem o contrário do que pensam, julgando pensar o que fazem. Há muitas palavras.
(...)
Há também o silêncio. O silêncio, por definição, é o que não se ouve. O silêncio escuta, examina, observa, pesa e analisa. O silêncio é fecundo. O silêncio é a terra negra e fértil, o húmus do ser, a melodia calada sob a luz solar. Caem sobre ele as palavras. Todas as palavras. As palavras boas e as más. O trigo e o joio. Mas só o trigo dá pão."

José Saramago in "As palavras"

2013-11-12

Olá bom dia

Nem sempre a vida é perfeita. Nem sempre ela corre como nós desejamos. Há dias imperfeitos. Há dias em que o que apetece mesmo é deixar que ela corra e se auto ajuste. O que nós podemos fazer para transformar a rotina em dias especiais? Subscrevendo uma frase do poeta Khalil Gibran, citada por Laurinda Alves "não perguntes à vida o que ela te pode dar, pergunta a ti próprio o que podes dar à vida" transparece exatamente a atitude que devemos tomar para vivermos cada dia de consciência tranquila, com as ideias ordenadas, com poucas ambições, apenas as necessárias que nos permitam levar uma vida minimamente feliz, em paz connosco e com os outros.

2013-08-26

É sempre a mesma história. Mais meios no combate a incêndios. Mais investimentos a jusante. Sempre a jusante. Nunca iremos conseguir travar este flagelo se pensarmos sempre desta forma.
Dêem penas perpétuas a incendiários que comprovadamente cometeram o crime. Dêem-lhes penas perpétuas com trabalhos forçados. Dêem-lhes penas exemplares que inibam outros de continuar a praticar este crime e vão ver se isto acaba ou não acaba. Neste campo, Portugal precisa de aprender muito com os EUA.

2013-06-18

"Temos o dever de ajudar os nossos filhos a escolherem o seu próprio caminho, em vez de os condicionar ao caminho ideal que desejámos para nós. De nos preocuparmos menos em transformá-los em entidades produtivas. De nos preocuparmos mais em que sejam pessoas felizes e equilibradas."

                                  Teresa Marta 

2013-06-13

Excerto

lover | via Facebook"
"Peguei no cesto dela e continuámos, e os seus passos soavam em uníssono com os meus, a sua alegria harmonizava com a minha, e a floresta murmurava delicada e fresca pelos montes abaixo. Eu nunca sentira tanto prazer em caminhar. Durante um longo pedaço cantei cheio de alegria, até que tive de parar, de tão transbordante plenitude: eram coisas demasiadas as que o vale e o monte, as ervas, as folhas e os arbustos me sussurravam e murmuravam.
E considerei então: se conseguisse abarcar e cantar todas estas canções ao mesmo tempo, as das ervas e das flores, as das pessoas e das nuvens, e de tudo, a floresta e o pinhal, e também as de todos os animais, e ainda todas as canções dos mares longínquos e montanhas, das estrelas e Lua, e se em mim tudo pudesse ecoar e cantar a um só tempo, eu seria então o próprio Deus, e todas as novas canções teriam de ficar no céu como uma nova estrela."

Hermann Hesse in "Sonho para uma flauta"

Excerto

♥ Je t'aime
«Antes de julgares uma pessoa, caminha durante três luas com os seus mocassins. (...) Vistas de fora, há muitas vidas que parecem falhadas, irracionais, loucas. Enquanto se está de fora, é fácil compreender mal as pessoas, as suas relações. Só de dentro, só caminhando durante três luas com os seus mocassins é que se pode compreender as motivações, os sentimentos, aquilo que faz agir uma pessoa de uma forma e não de outra.»

                   Susana Tamaro in "Vai aonde te leva o coração"
Esperem pelo minuto 15. É simplesmente a canção mais linda que ouvi nestes últimos tempos

2013-05-31

Dia da criança

"Só é possível ensinar uma criança a amar, amando-a."

                             Johann Goethe

531093_451936044874375_1075884016_n_large

2013-04-23

Toda a energia que se gasta a praticar exercício físico podia ser utilizada  a fazer coisas mais úteis...
Quando vejo aqueles adeptos de alguns clubes de futebol, aqueles que se portam muito mal e que eu desejo profundamente que a polícia lhes casque sem dó nem piedade, penso na inutilidade daqueles músculos... Tanto terreno por esse Portugal fora para eles sacharem valha-me Deus!

2013-04-16

forty-two!

Parabéns para mim
Nesta data querida
Muitas felicidades
Muitos anos
De vida

Hoje é dia de festa
Cantam as nossas almas
Para a menina Martinha
Uma salva de palmas

Tenha tudo de bom
que a vida contém
Tenha muita saúde
E amigos também

 ^.^ | via Tumblr
"A vida é um milhão de novos começos
movidos pelo desafio sempre novo de
viver e fazer todo sonho brilhar.
Aproveite cada dia para desfrutar das
coisas boas que fazem você feliz e que
a sua vida seja um mar cheio de
emoções alegrias e conquistas."


Thank you. Martinha.

2013-04-12

Já conhecem este blog? Pois... então se não conhecem deviam conhecer. Ela tem umas mãos de ouro e faz trabalhos fantásticos. Para além de professora e mãe, também se dedica à bijouteria, à pintura e até ao restauro de móveis antigos. E é acima de tudo uma ótima pessoa.
Florzinha  tu mereces.

2013-04-10

Quando os miúdos são pequenos {digo escola primária} obrigam-nos a usar calculadora, têm de a levar sempre para a escola, usam e abusam dela com a complacência da professora e do Ministério da Educação. Agora aos 15 anos e no 9º ano, os miúdos preparam-se para fazer um teste intermédio de matemática onde o uso da calculadora só irá ser permitido durante os 30 primeiros minutos, dos 90 que a prova dura. Alguém entende os adultos? São desacreditados a todo o instante!
Em boa verdade a ideia até nem está má, mas digamos que convém que haja um período de adaptação em vez de lhes caírem assim em cima quase de surpresa. Podem começar por proibir as calculadoras logo desde a escola primária e depois ao longo do percurso escolar usá-las só em determinados cálculos.

2013-04-05

Ritmos portugueses que gosto de ouvir, mas gosto ainda mais de os dançar ahahahah! Esperem pelo momento 1:33...

2013-04-04

Já vos disse que adoro este blog?

Uma perspetiva muito profunda que me preenche, que chega até a arrepiar-me e que também me consola em dias menos bons. Grande sensibilidade e inteligência perante as coisas simples da vida.
Identifico-me muito com todos estes textos.

«Toda a criança devia ter direito ao sossego e ao silêncio, a não ser asfixiada, bombardeada, entupida. Toda a criança devia ter direito a não ver satisfeitas necessidades que nunca manifestou. Que linda, que gira, queres colinho, anda que te dou uma coisa bonita, anda, anda, anda! Que linda!  Toda a criança devia ter direito a não ser tratada como um macaquinho amestrado. Olha, dança para as senhoras verem que tu danças tão bem, dança, olha como a mamã faz, faz igual, dança, dança para as senhoras verem. Toda a criança devia ter direito a tempo para pensar, para responder, para afirmar e para negar. Diz olá, diz olá aos senhores, diz olá, diz! Olha o senhor a dizer-te olá, diz olá também! Olá, olá! Toda a criança devia ter direito a não comer bolachas e a não receber um presente por cada gracinha. Queres uma bolachinha? Queres uma bolachinha? Toma uma bolachinha, toma uma bolachinha, anda cá comer uma bolachinha. Come a bolachinha, vá, meu amor! Bolachinha booaaaaa! Toda a criança devia ter direito a preservar a sua natureza essencial, simples e pouco exigente. Dá tanto trabalho, tanto trabalho a minha menina... Mas é linda! E toda a criança devia ter direito, sem punição, a fazer uma birra de atirar as paredes abaixo e largar a correr quando lhe hipotecam a alma a pretexto do amor e da educação. Toda a criança devia ter direito a ser mais, muito, muito mais, do que o mero orgulho dos seus papás por se cumprir conforme sonharam. É uma alegria que compensa tudo!»
 
Diretamente daqui.

2013-03-28

A minha mãe já fez empadas da Páscoa. Quer isto dizer que está aberta oficialmente a época pascal. Ai meu Deus quentinhas, sabem que é um regalo. Se fosse só isto, mas é isto e muito mais. Boa Páscoa para todos os que me seguem. Quanto a mim, hoje já não vai dar, mas amanhã quero ir a uma das procissões da semana santa, à minha terra natal. Beijinhos com amizade.

2013-03-14

Contra a gordura marchar, marchar

Mãe cusca

Ontem filho tirou 100% no teste de físico-química. Mãe orgulhosa que só eu sei ser, tratou logo de fazer perguntas várias sobre as notas dos colegas. Filho esgota a paciência e interpela-me:

- Maaãee sabes porque é que as tartarugas vivem mais de cem anos?
- Não filho.
- Porque não se metem na vida dos outros.
- Hã!

E é assim que se põe uma mãe nos eixos.

«Um caminho de fraternidade, amor e confiança entre nós»

Renascença V+Ver todos os videos
As primeiras palavras de Francisco.
Fumo branco ao segundo dia de Conclave
Rádio RenasceçaMais informação sobre este video

2013-02-25

A minha opinião converge literalmente com a desta senhora

Sim, era por isto que eu era completamente viciada na Gabriela.
Sim, é por isto que eu não vejo telenovelas portuguesas.
 
 
«O impacto de uma protagonista feminina e livre de pudores sociais e morais foi tal, que antes da estreia deste remake ainda havia quem se lembrasse de certas falas. É certo que não é a mesma coisa do que ler um livro, mas também é certo que Jorge Amado nunca sonhou que a crítica à sua cidade natal fosse disseminada desta forma.
Seria bom que os guionistas e argumentistas portugueses enveredassem por este tipo de adaptação. Creio que daqui a pouco tempo esta será a única forma de dar a conhecer aos jovens determinadas obras. Que eu conheça, houve apenas uma adaptação de três obras de Camilo Castelo Branco (Amor de Perdição, Mistérios de Lisboa e Livro Negro do Padre Dinis). A produção luso-brasileira passou na RTP e chamou-se Paixões Proibidas.
A naturalidade dos diálogos, que os portugueses não conseguem igualar, é fácil de perceber. Os autores brasileiros fazem uso de estereótipos e lugares-comuns, fazendo a sua crítica à sociedade e educando, alertando sempre para fenómenos como a gravidez na adolescência, as DST, a violência doméstica, a acessibilidade, a corrupção política, as drogas, etc.
Os autores portugueses imaginam um mundo de betos e tias, onde toda a gente se trata por você, com o qual ninguém se identifica, e sem qualquer conteúdo.
Em relação aos diálogos da Gabriela, retive este:
“- Olha, Nacib. Dou-te aquela estrela.
- Uma estrela?
- Uma estrela, Nacib. Aconteça o que acontecer, ela estará lá. Sempre. Quando olhares para ela, lembra-te de mim. Mesmo que esteja longe. A estrela é tua. O brilho da estrela é teu. É para sempre.”
Romântico, bonito e desprendido. Algo que se quer, nos dias que correm.»
 
Tirado daqui. Do blog Delito De Opinião.

2013-02-13

"Sinto-me como uma semente no meio do inverno, sabendo que a primavera se aproxima. O broto romperá a casca e a vida que ainda dorme em mim haverá de subir para a superfície, quando for chamada. O silêncio é doloroso, mas é no silêncio que as coisas tomam forma, e existem momentos em nossas vidas que tudo que devemos fazer é esperar. Dentro de cada um, no mais profundo do ser, está uma força que vê e escuta aquilo que não podemos ainda perceber. Tudo o que somos hoje nasceu daquele silêncio de ontem. Somos muito mais capazes do que pensamos. Há momentos em que a única maneira de aprender é não tomar qualquer iniciativa, não fazer nada. Porque, mesmo nos momentos de total inação, esta nossa parte secreta está trabalhando e aprendendo. Quando o conhecimento oculto na alma se manifesta, ficamos surpresos connosco mesmos, e nossos pensamentos de inverno se transformam em flores, que cantam canções nunca antes sonhadas. A vida sempre nos dará mais do que achamos que merecemos".

Kahlil Gibran

2013-02-08

lalalalalala

Há dias que me apetece ouvir esta voz tão descontraída, tão melodiosa. Dá a ideia que cantar para ela é quase como se estivesse a falar, sem esforço absolutamente nenhum. Não é fantástico? Parece que vai lançar um novo álbum ainda este ano, depois de ter sido mãe duas vezes. Fico a aguardar.

2013-02-04

Cinema a três

Apesar de compromisso de filho, marido queria a todo o custo fazer um programa de Sábado à noite. Lá fomos nós e filho vê-se obrigado a faltar a uma obrigação que o prende sempre nesse dia. Jantar divinal e o cinema com pipocas escolhido foi "O Impossível". Ía com as expetativas em baixo pensando que seria mais um daqueles filmes de treta, com um tsunami, com o mar a arrastar uma família feliz, mas entretanto eles salvariam-se todos e seriam novamente felizes para sempre. Oi, fui deveras surpreendida com as emoções que se vivem naquele filme.  A força e o poder que o amor de uma família  pode ter. É ela que nos faz relembrar que o Amor existe mesmo, sendo certo que quando há a perceção de que toda ela esteve mergulhada no caos quer físico, quer emocional, a fragilidade do ser humano vem ao de cima e esta retrospetiva nítida de tudo o que se passou e as possíveis consequências negativas, hão-de fazer sempre chorar.

2013-01-30

Excerto


 
" ... possuía um espírito sonhador com vontade de escrever contos, uma nostalgia constante que pretendia ligar a insignificante vida diária à grandiosa vida que é apresentada em canções e pinturas, em belos livros e nas tempestades que ressoam nos bosques e nos mares. Não a contentava a ideia de que uma flor fosse apenas uma flor, que um passeio fosse apenas isso mesmo. A flor deveria ser uma sílfide, um espírito dotado de beleza e sujeito a uma metamorfose igualmente bela, ao passo que um passeio não seria um mero exercício físico praticado por obrigação ou com intuitos recreativos, era antes uma apreensiva viagem em busca do desconhecido, um contacto com o vento e os ribeiros, uma conversa com as coisas mudas."


Hermann Hesse in "Música"

2013-01-29

Em leitura

No livro "A Saúde Também Se Educa" de Manuel Martins Fernandes deparei-me com um parágrafo, aliás o último do livro na página 270, que diz assim: « Lembremo-nos de que sempre que cuidamos dos outros com espírito de abnegação e altruísmo estamos a curar-nos e a tratar-nos das nossas próprias fraquezas e debilidades psíquicas, ou seja, estamos a ocupar-nos da nossa realização pessoal e social».
Grande verdade esta, embora não pareça.

2013-01-24

Em dois dias de neve sem aulas

piqueno (que já é grande) cá de casa ensopou-se, literalmente todo, mas mesmo todo, em água duas vezes. Uma vez em cada dia. Felizmente a chuva que caiu derreteu-a toda e as brincadeiras entre amigos com um trenó e bolas de neve chegaram ao fim. Ufa! Nem quero imaginar se a neve persistisse!
Independentemente do número de vezes que ele se molha ou se suja o importante é que ele cresça feliz com recordações boas que lhe fiquem para a vida e isso deixa-me feliz também.

2013-01-22

E a neve cai, cai de mansinho

Uma leve camada branca cobre o chão, contrastando com o castanho adormecido de algumas árvores, dormem com certeza o sono dos justos indiferentes ao frio, ao vento e à neve que suavemente lhe cai em cima.
A neve tem tanto de bonita como de chata.

2013-01-11

Shame on me

Vou ser sincera e dizer-vos que ando sem paciência nenhuma para escrever aqui por estes lados! A partilha do que quer que seja aqui na net deixou de ser prioritária. Guardo o melhor e o pior para mim! Este maravilhoso mundo encantado deixou de brilhar tanto assim. Anda um pouco fusco. Melhores dias virão. Quero acreditar que sim! Até lá sejam felizes! Martinha

2013-01-04

2012-12-13

«Aquilo que fazemos por outra pessoa é mais importante do que aquilo que sentimos por ela.»

                                                                               Haneke

2012-11-15

Excerto

 
"Mas passa-se uma coisa extraordinária. Como me esqueci de pôr a correia no açaimo e como, sem correia, o principezinho nunca se pode ter servido dele, ando sempre com uma dúvida: a ovelha terá ou não comido a flor?
Umas vezes, penso: «Claro que não! O principezinho põe a flor todas as noites debaixo da redoma de vidro e, de dia, não tira os olhos da ovelha...» E fico feliz. E todas as estrelas se põem a rir baixinho.
Outras vezes, penso:«Uma distracção e basta... Se calhar, um dia, o principezinho esqueceu-se da redoma de vidro... ou a ovelha escapou-se-lhe de noite, sem fazer barulho...» E todos os guizinhos se transformam em lágrimas!...

Que grande mistério! Vão ver que também para vocês, que gostam do principezinho, nada no Universo fica na mesma se algures, não se sabe bem onde, uma ovelha que nós não conhecemos tiver ou não comido uma rosa...
Ora olhem para o céu e pensem: «A ovelha terá ou não comido a flor?» Vão ver como tudo muda...
E nunca nenhuma pessoa crescida há-de entender como isso é importante!"

                 Antoine de Saint-Exupéry in "O Principezinho"



2012-11-14

Ainda a casa cor-de-rosa às florzinhas

Nem às florzinhas nem de cor nenhuma. Da maneira como isto está não se pode mesmo andar a gastar dinheiro em bens que à partida não são necessidades de primeira ordem, mas sim meros caprichos. Ora desde quando papel de parede faz falta numa parede pintadinha de branco? Desde nunca não é verdade?! Desde quando mais tapete ou menos tapete, mais armário ou menos armário é assim tão importante?!
Portanto menina Martinha vamos lá ter contenção nas despesas (olhó Vítor Gaspar na minha consciência, cum caraças!). De manhã, depois de rezares o anjo da guarda, não te esqueças de repetir para ti mesma onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios-onde-não-há-dinheiro-não-há-vícios...

2012-11-06

Enquanto procurava por aqui alguns móveis e têxteis eis que o meu filho se insurge alertando-me «mãe, pensas que vais pôr a casa toda cor-de-rosa às florzinhas!?»

2012-10-30

O meu filho diz repetidamente que está com saudades do Natal e de tudo o que isso envolve. Eu cá tenho saudades é do Verão. Do sol quente a queimar-me a pele. Faz tão mal, mas sabe tão bem. Se não fosse a minha maneira de ser assim tão apegada aos lugares e às pessoas seria pessoa para debandar para um país tipo Brasil. Se...! Sempre o "se" a tolher-nos as ideias, os pensamentos, as pernas esquecendo-nos que afinal [olha afinal!] só se vive uma vez e passa tudo tão rápido e até prova científica que diga o contrário a vida eterna só existe para nos consolarmos. Precisamos sempre disso e,  pensando melhor, se calhar, também eu tenho saudades do Natal!

2012-10-26

O que me ocorre de momento...:)



Ou Isto Ou Aquilo

"Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!
Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!
Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.
É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!
Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.
Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!
Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.
Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo."

       Cecília Meireles

Bom fim-de-semana

2012-10-09


"Em cada momento da sua vida, o ser humano tem capacidade para absorver uma certa quantidade de sofrimento. Quando o limite é largamente ultrapassado, a maior parte das pessoas perde o controlo e pode guardar marcas indeléveis. Quando a intensidade do sofrimento ultrapassa aquilo que cada um de nós pode suportar, é como se algo dentro de nós se quebrasse.
Este limite varia de pessoa para pessoa e de momento para momento. Depende muito da visão que temos do mundo, das nossas crenças religiosas, da nossa capacidade de altruísmo e do sentido que atribuímos à vida. Uma pessoa cujo único objectivo seja o seu próprio prazer está muito mal preparada para fazer face ao sofrimento e tem uma capacidade de absorção diminuta.
(...)
Quando a intensidade do sofrimento está de acordo com as nossas capacidades e conseguimos manter uma atitude positiva, o sofrimento é um excelente mestre. É ele que lima as nossas arestas, nos dá um pouco mais de humildade e nos prova que não sabemos tudo sobre a vida. O ser humano que foi polido pelo sofrimento ganha profundidade, calor de sentimento e sensibilidade. Quando conseguimos manter uma atitude positiva, o sofrimento faz de nós verdadeiros seres humanos."


Tsering Paldrön in "A Alquimia da Dor

2012-10-04

Olhei para a minha linda gata amarelinha e branca de olhos doces e meigos e enquanto ela dormia profundamente na minha varanda solarenga, lembrei-me desta frase:

Por vezes penso que a personalidade dos animais de estimação é um pouco o reflexo da personalidade dos donos.
Se ela é doce e meiga, talvez seja porque nós também o sejamos. Disse isto ao meu filho hoje de manhã. Ele concordou e acrescentou que a cor dela também lhe dá um certo ar de candura. Também, concordei eu.



2012-10-03



"Lar é onde se acende o lume e se partilha mesa e onde se dorme à noite o sono da infância.
Lar é onde se encontra a luz acesa quando se chega tarde.
Lar é onde os pequenos ruídos nos confortam: um estalar de madeiras, um ranger de degraus, um sussurrar de cortinas.
Lar é onde não se discute a posição dos quadros, como se eles ali estivessem desde o princípio dos tempos.
Lar é onde a ponta desfiada do tapete, a mancha de humidade no tecto, o pequeno defeito no caixilho, são imutáveis como uma assinatura conhecida.
Lar é onde os objectos têm vida própria e as paredes nos contam histórias.
Lar é onde cheira a bolos, a canela, a caramelo.
Lar é onde nos amam."

Rosa Lobato de Faria in "O Sétimo Véu"

2012-10-01

Excelente. Como sempre, aliás. E só Deus sabe o quanto me identifico com este texto.

"Extraordinária, a vida. Um segundo que vira o segundo anterior do avesso, uma palavra que vira a palavra anterior ao contrário. A gargalhada que inverte o fluxo da lágrima. A chicotada e a chaga no mesmo lugar onde a pele já foi beijada. Tudo isto e o inverso disto tudo. A vida cheia de pinos, cambalhotas e vice-versas. Estou sempre surpreendida por estar viva e sentir-me, dos pés à cabeça, uma fonte de humores e emoções, um compromisso em potência com tudo aquilo que há de vir (e o que não vier, ainda bem, deixa espaço livre para vir mais ainda). Um escudo. Uma lança. Um exército inteiro sobrevivendo, hirto, na minha consciência. Um poema que me sai, sem pensar, de cada vez que a vida me revela rimas e métricas inesperadas. Não é que me tenha aproximado da morte, mas sou uma daquelas alminhas pequeninas que, todas as manhãs, ao ver o sol raiar na mesma faixa serena do horizonte e ouvir a inquietação da passarada rasando-me o parapeito da janela, agradece o facto de ter aberto os olhos uma vez mais. Encho o peito de ar, faça chuva ou faça o sol, e a vida apresenta-se-me, em imaginação e desejo, tão inteira, sublime e poderosa que não tenho como dizer-lhe que não e voltar a deitar-me, de costas para o Universo."

{daqui}

2012-09-13

«Onde é que estão os cortes na despesa? Porque é que o 1º Ministro nunca perdeu 30 minutos da sua vida, antes de um jogo de futebol, para nos vir explicar como é que anda a cortar nas gorduras do estado?»

                                                            Ângela Crespo

2012-09-12

Sem Fada Oriana

sem varinha de condão para me proteger de medos, angústias e anseios, lembrei-me duma frase da Dina Aguiar que, parecendo não fazer grande sentido em idades jovens, ela começa a ter cada vez mais impacto na nossa vida, principalmente quando somos confrontados com a morte ou a iminência dela.

«Agarre sempre o lado mais positivo da sua vida, para que tudo lhe possa parecer um pouco mais fácil.»
                                                                              
                                                                               

2012-09-04

É muito difícil

de acreditar que a história dos incêndios em Setembro é uma história de embalar bebés. Inocente!?
Está cheia de camadas, mais ou menos como a história das cebolas... e dos ogres (!). Têm camadas. As cebolas têm camadas, os ogres têm camadas, os incêndios têm camadas...

2012-09-03

O futuro é um lugar estranho


´Avançarei, avançarei no meu caminho
Agora eu sei que tu comigo vens também
Aonde fores aí estarei
Sem medo avançarei

O Senhor é meu pastor
Sei que nada temerei
Ele guia o meu andar
Sem medo avançarei`

2012-09-02

A luminosidade dos dias outonais já se nota. O sol anda mais baixo. Há frescura, brilho e alguma nostalgia no ar.



2012-08-27

«O poder de um ser humano mede-se pela sua capacidade de fomentar a paz.»

                                                     Maria Barroso in revista Tempo Livre

2012-08-23

"Portugueses pelo mundo" é sem dúvida um dos programas de grande qualidade na rtp. Adoro vê-lo. Dá-me uma vontadinha, digamos que, um ímpeto de ir além fronteiras com a famelga atrás. Ai senhor! Qualquer país da Europa me serviria, peut-être também E.U.A ou até o Brasil.
China é que não. Nada de especial contra este país, simplesmente a comida deles revolve-me as entranhas. Desde insetos a carne de cão. Ui.
Bom, sonhar é fácil!

2012-08-17

Qualquer semelhança com a ficção é pura coincidência

Uma pessoa mora aqui no cu de Judas com temperaturas capazes de fritar [ou grelhar, sempre é mais saudável] o lombo ao sol [e ele há dias que à sombra também] imaginando-se a mergulhar num mar de águas frescas q.b. e translúcidas e depois essa pessoa desloca-se ao litoral civilizacional na esperança de encontrar uma praia idílica com que dias antes sonhou e eis que se vê perante nortadas capazes de arrefecer num ápice qualquer esqueleto esquentado. O desejo de águas frescas, mas não tanto, já era! Um frio polar gélido e horripilante levam esta pessoinha, agora já quase em processo de congelamento, a desejar o casaco de malha polar [ou antes um cobertor] esquecido no fundo do gavetão na casa da província.
Verdade seja dita que nem tudo foi em vão e ainda apanhei uns fins de tarde bem jeitosinhos e amorosos com brisa suave e um mar calminho com bandeira verde, para gáudio de marido e filho que permaneciam nesses finais de tarde suaves e dourados, quarenta minutos dentro de água sempre a nadar, sem pé [tempo record, hein!]. Happy end!

2012-08-16

Diz que a receita para a longevidade passa por comer metade, caminhar o dobro e rir o triplo.
Ora feitas as contas eu constato que como o dobro, caminho metade [quando caminho] e rir... bem rir... mas qual rir? Vou ali encher o bandulho de chocolate pode ser que com sorte me saia um esgar!

2012-07-15

Ontem à noite

Vanessa da Mata esteve no auditório exterior do teatro da cidade e cantou estas e outras canções lindas como só ela sabe e eu gostei muito de ouvir esta voz tão melodiosa

2012-06-27

No quintal da minha casa existe uma cerejeira carregada de cerejas cada vez mais vermelhas, cada vez mais pretas. Tão doces, tão doces que nem os melros lhes resistem. Nela está, estrategicamente colocada, uma escada que vai mudando de posição consoante o amadurecimento deste fruto tão divinal.
Também divinal é o novo álbum da Norah Jones. Do lado direito do blog coloquei uma das músicas desse álbum. Oiça-a se quiser e olhe... se não tem cerejas para acompanhar, sempre pode imaginá-las!

2012-06-14

"Ser Livre"


" Quero ser livre como o mar
que está aprisionado pela terra ...
Quero ter nos meus olhos a brilhar
A luz que enfeita o firmamento
Os meus olhos nasceram
para amar
as estrelas, a lua, o pôr do Sol
o mar que me serena ...
a eternidade dos tempos idos
o lento passar dos séculos
e frescura dos ventos
a sombra casta dos pinheiros
um sorriso ...
um búzio ...
simples ...
não é ?"
 
 
Carlos Silva in "Poiesis - Volume I"

2012-06-12

Conversa fiada!

Após o jogo de Portugal li esta frase: "perdemos o jogo mas temos equipa para ganhar o euro". Muita gente subscreverá. Já eu questiono-me para que serve tanta eficiência se não há eficácia? Claro que no mundo das probabilidades, aumenta a probabilidade de ganhar quando se joga bem, mas se a bola não entrar na baliza todo o esforço é nulo. Meter a bola lá dentro é que importa meus senhores, o resto é conversa fiada.

Vamos lá Portugal...
À falta de melhor, esta música parece-me aquela que melhor se adequa à nossa seleção: Força Portugal!

2012-05-11

Com o Verão chega um certo daltonismo

Este tempo quentinho, com cheirinho a Verão, faz-me ver a vida toda cor-de-rosa! Até a crise deixou de ser cinzenta e passou a ser rosinha!

Procrastinar

Talvez seja este o verbo que melhor define a minha vontade diária de vir ao blog e escrever, escrever, sobre qualquer coisa ou coisa nenhuma e, verdadeiramente, nunca o fazer! Postergar a escrita de tudo o que me vai na alma, pode não ser a melhor solução para problemas e conflitos interiores, mas dizê-los, ou melhor dizendo, escrevê-los publicamente para o mundo pode também não ser conveniente. Neste adiamento de algo que nunca chegará a ser feito e ao mesmo tempo a vontade de o fazer, resta-me continuar em procrastinação, meditando nesta ambivalência de vontades!

2012-05-01

Não, não pretendo dar-vos música, mas

quando ela já diz tudo, não há palavras que se lhe sobreponham. A vida é como um carrossel, com altos e baixos:Mayra Andrade

2012-04-23

Comodamente incomodada

O Blogger mudou e é uma trabalheira para perceber o que lá vai dentro. Vai-se percebendo, aos poucos! Mais ou menos como o tempo, sem graça nenhuma! É capaz de ser uma questão de habituação.

2012-03-23

Uma das melhores vozes de todos os tempos# 2

Beyonce

Lindas, como sempre

Ao fim-de-semana aproveitamos para estar com quem nos quer bem e para ver as lindas amendoeiras em flor, um verdadeiro encanto.

Os pontos altos dos espetáculos floridos aconteceram nos dois últimos fins-de-semana anteriores. Para quem gosta e não viu, obviamente que já não irá a tempo. Para o ano há mais.

2012-03-20

O dia de ontem bem poderia ter passado em branco com a cabeça enfiada debaixo da areia, mas felizmente tenho um filho em casa que não tem um pai ausente como eu sempre tive e que me faz tomar consciência do quanto o papel de um pai pode ser importante, não só durante o crescimento, mas em toda a vida de um filho. Por isso mesmo a todos os pais que educam os filhos tanto quanto os amam, fazendo a distinção clara entre uma coisa e outra sem deturpar nenhuma das duas, a todos eles o meu bem hajam por existirem. Aliás nunca deveria fazer sentido separar a complementaridade que une o trio pai-mãe-filho, afinal nenhum deles existiria sem a existência dos outros dois. Feliz dia do pai todos os dias. Ontem, hoje e amanhã.

2012-03-01

Uma das melhores vozes de todos os tempos # 1

Lily Allen - I Could Say
Cansados da versão constipados, os espirros assumem agora a versão alérgica. Vestem-se, então, com cores radiantes, alegres e primaveris pensando que me conquistam. Mas enganam-se e não sabem quanto!
Ó chuva, nem sabes a falta que fazes!

2012-02-14

sinto o corpo a querer chocar uma constipação. tenho calafrios, arrepios. sinto os pés e as mãos geladas. o nariz a pingar e espirros em modo repeat. aiiiiiiiiiiiii eu quero a minha mãe!

2012-02-13

Desafio aceite

 
Foi-me proposto pela Flor de Côr  um desafio para me dar a conhecer um pouco melhor. Então aqui vai ele:


1 - Nome da minha música preferida:
É e será sempre a música do filme Cinema Paraíso de Ennio Morricone



2 - Nome da sobremesa favorita?
Bolo de chocolate com cobertura de chocolate preto e frutos silvestres, feito por mim (ahah)

3 - O que me tira do sério?
A arrogância

4 - Quando estou chateada?
Quando tenho problemas familiares

5 - Qual o animal de estimação favorito?
gato

6 - Preto ou branco?
Branco, sempre


7 - Maior medo?
A morte

8 - Atitude quotidiana?
Lutar pela harmonia e bem-estar dos meus

9 - O que é perfeito?
O Amor verdadeiro

10 - Culpa?
De não saber gerir melhor as emoções




Sete factos aleatórios sobre mim:


1 - Gosto de ter momentos de introspeção e de reflexão
2 - Gosto de ver a minha família feliz e saudável
3 - Gosto de fazer sempre o que está certo, principalmente quando sei que ninguém me observa
4 - Gosto de ter a casa cheia de pessoas verdadeiras
5 - Gosto das simetrias (é mais mania do que gostar) 
6 - Gosto do sol
7 - Não gosto de ter saudades




Regras:


Colocar o link da pessoa que te ofereceu o selo.
Preencher o formulário das perguntas.
Não vou oferecer este desafio a 7 blogs, simplesmente porque tenho pouquíssimas pessoas conhecidas na blogosfera. Essa é a razão e só essa. Peço desculpa por ter quebrado uma regra importante.

2012-02-10

Parabéns meu filho, parabéns

pelos teus catorze anos. Deus te abençoe sempre e te faça sempre um menino muito feliz com família e bons amigos sempre contigo e ao teu lado.
Hoje fazes 14 anos e em abril eu faço 41. Os mesmos números, mas ao contrário. É muito curioso, espero que seja sinal de muita sorte. Hoje os beijinhos vão todos para ti meu filho. Deus te proteja.

Quando o meu filho faz anos, sinto-me como se fosse também eu a fazê-los.

2012-02-06

Arejar a casa depois de um fim de semana com algumas constipações à mistura, pode, não só, não ser a melhor opção, como também não ser sinónimo de entrada de ar renovado limpo e puro, quando por perto abundam chaminés fumegantes.
A minha ´sorte`, se é que assim se pode chamar, poderá ser a direção do vento.
Enquanto ele se decide, vou ali respirar para dentro de um saco.

Envelhecer será igual a peso a mais? É crucial que não seja.

Admiro gentes que, não obstante a idade que inevitavelmente têm de carregar nos ombros, vão resistindo sempre à tentação da gula. Uma massa corporal proporcional à altura, uma alimentação cuidada, regrada aliada a algum exercício físico. Nada de banhas, gorduras em excesso e barrigas de nove meses de gravidez. Admiro gentes com persistência, cujo único compartimento que vão enchendo é o da inteligência. Lá dentro e porque este compartimento se quer grandioso, também há espaço para a humildade, para a sensibilidade, para as emoções, boas, sempre boas, para a criatividade, no fundo para a inteligência emocional. Gentes bem gorduchas neste campo e só neste, porque na vida delas não há espaço para o desleixo e os pequenos prazeres da gula, que os têm, fazem-nos pontualmente e de forma controlada. Pensar-se-á que é um estado gratuito, fácil até. Mas não. Contrariam muitas vezes a genética que carregam e alcançam o triunfo subindo para o pódio, subindo para um nível acima da normalidade dos seus semelhantes, sem nunca esquecerem que apesar de este ser um objetivo fundamental e diário nas suas vidas, acima de tudo por razões de saúde, não é, nem nunca pode ser, o centro do seu universo.
Não se vive para sempre, mas ao que tudo indica a dose certa no peso e alguma descontração e alegria aumentam a probabilidade de uma vida mais longa.

2012-01-26

cenas!

conversa ouvida hoje na rádio:
"- dez e pico é o mesmo que dez e tal?
 - não, eh pá, dez e pico devem ser p`ra aí dez e um quarto, e dez e tal devem ser quase as onze, tás a ver.
 - não, quase as onze, já são onze menos qualquer coisa, já não são dez e tal."

posto isto, os meus maxilares não aguentaram a ordem vinda do cérebro para uma valente gargalhada e a cena tramada é que também ía a conduzir e acabei por não ouvir a conclusão da conversa. xii, que pena.

2012-01-25

Ainda no rescaldo

Pois sim Srº Presidente, em primeiro lugar deixe-me congratulá-lo pela sua carreira académica e profissional que tem tido ao longo da sua vida, pois que estudou e se esforçou e portanto, logicamente merecerá mais que aqueles que preguiçaram durante o tempo que deveriam estudar. Congratulá-lo ainda por ter tido a humildade de abdicar do ordenado enquanto Presidente da República, pois que outra pessoa qualquer não o teria feito.
Mas a vitimização no plano das necessidades (básicas!), é algo que não lhe assenta bem. De todo. Até Maslow ficaria irritado consigo, quanto mais as famílias que perderam, e aquelas que continuam a perder, os seus empregos e não conseguem sequer fazer face à compra de bens elementares de primeira necessidade e cujo o espectro da fome começa a pairar sobre as suas cabeças e já é uma realidade em crianças que vão à escola, segundo notícias divulgadas recentemente.
Sendo assim Srº Presidente da próxima vez que falar aos portugueses coloque-se no lugar de um qualquer cidadão do nosso país, que poderá não ter o que comer e só de ouvir falar em 10 mil euritos por mês (fonte: aqui), coisa pouca, desejaria, ao menos, ganhá-los num ano.

2012-01-11

Cocoon - Between me and the sun


Between me and the sun está este nevoeiro denso que me deixa triste... mas isto há-de passar... há-de passar... logo que o sol regresse, creio eu.

2012-01-08

«Não somos suficientemente humildes, porque não somos suficientemente importantes.»

Frase ouvida hoje na missa.

2012-01-06

Mãos e corpo

Para lidar melhor com o frio, estes cremes de aveia são os que eu mais gosto.

2012-01-04

Isto digo eu

Dizer-vos que vivemos hoje acima do nível de vida que os nossos avós algum dia sonharam e com muito mais conforto que no passado. Medo de descer alguns degraus? Apesar de tudo nunca será tão mau como dantes. Tenham calma não me atirem já com pedras, estou simplesmente a olhar para o copo meio cheio e vistas as coisas nesse ângulo, elas podem não ser tão desgraçadamente e aterradoramente más. Vejam bem no passado não havia net como há hoje, estão a ver? Também não havia um pópó para cada membro do agregado familiar (quase), parece que já ninguém sabe andar curtas distâncias a pé. Não havia casas aquecidas ou pelo menos paredes com caixa de ar e janelas com vidro duplo, estão a ver? Não havia viagens para aqui e para acolá só porque sim e apetece. Não havia comida que se ingerisse em excesso. E hoje? Hoje são os excessos que estão à vista de todos. Não estou a dizer que isto não seria bem bom se durasse sempre e eternamente, simplesmente se a coisa emagrecer um pouco também não é caso para tanto dramatismo. Isto digo eu que botei estas palavras pensando em vos alegrar e que as tinha aqui no limbo do pensamento.

2011-12-28

"Há razões para acreditar num mundo melhor."


A mensagem que o anúncio transmite está giríssima. É muito positiva e cheia de esperança num mundo realmente melhor.

2011-12-13

a vida na perspectiva de uma grandeza sinusoidal...

Dias frios, chuvosos, nevoeirados, ventosos, o Inverno no seu esplendor... a vida soma e segue. O Natal que se aproxima numa tentativa de equilibrar a luminosidade dos dias. O brilho, as luzes equilibram o cinzento dos dias. O homem que caminha numa sinusóide. O importante é que ela não tenha amplitudes muito grandes e cuja onda não tenha grandes perturbações. Quanto mais próximo do ponto de equilíbrio, maior estabilidade lhe confere.
O ideal lá ao fundo da linha. Sempre inatingível. O importante é que ele esteja sempre lá e que o homem tenha sempre o objectivo de o alcançar.

2011-12-11

mostra-me o teu rosto...

Quando já se percorreu metade da vida toma-se mais consciência da morte. Da individualidade, da fragilidade de cada pessoa num aglomerado de gente. Cada rosto procurando um carinho, um sorriso, uma empatia, um olhar atencioso, de um pouco de tempo. Do teu tempo. Do meu tempo. Tempo para estar, para apreciar, para respirar mais fundo, para ganhar confiança, ânimo.
Aglomerados de gentes com rostos sisudos. Força da idade, dos desgostos, da vida... Estas imagens fazem-me transportar à infância daqueles rostos enrugados e sérios. Imagino os sorrisos rasgados e descontraídos, os olhos brilhantes de felicidade e desejo, os sonhos que o futuro haveria de trazer. Mas o futuro é aquele malandro que às vezes nos prega rasteiras. E a felicidade às vezes faz batota connosco.
Gente solitária no meio da multidão. Divagando nos pensamentos, nas preocupações, em alguma tristeza, mas também em alguma felicidade envergonhada, sorriso contraído. Quando digo que a felicidade é envergonhada, digo-o porque as pessoas têm um certo receio de mostrar que estão felizes. Então encolhem a felicidade, engolem-na, não vá isso despertar sentimentos de inveja nos outros. E assim andam os rostos dos crescidos, carregados e sérios como se isso fosse o protótipo do ser humano adulto perfeito e com juízo.
Deem-me por favor os sorrisos descontraídos das crianças, porque eles ajudam-me a rejuvenescer. Razão tem o Peter Pan quando diz que não quer crescer...

2011-12-06

Excerto do livro "Más Maneiras De Sermos Bons Pais" de Eduardo Sá

Não posso dizer que tenha gostado muito deste livro, embora no seu interior haja parágrafos simplesmente  verdadeiros e extraordinários. Um deles é este que se encontra na página 170:

"Mas, afinal, quando se chega ao Natal numa família?
Quando ela suscita a comunhão e nos dá experiências comoventes. Sempre que promove a autenticidade e a transparência. Logo que desenvolve a esperança e o sonho. Quando ampara a dor, estimula as transformações e liga amor e pensamento. Sempre que educa para a verdade, para a humanidade, para a perserverança e para o arrojo. Quando sabe mais de nós do que nós próprios. E se nos ensina que somos dignos de um passado sempre que recriamos o futuro."

                                                                Eduardo Sá

2011-12-04

dias assim... tão... je ne sais quoi

O dia de hoje amanheceu frio e cheio de nevoeiro e por isso mesmo pede lareira e roupas bem quentinhas... Já se começa mesmo a sentir o espírito natalício no ar... mas a vontade de comprar o que quer que seja é que não é nenhuma. Começo a pensar na crise, outra vez a crise e ainda a crise... e mais a crise...bolas!