2012-10-09


"Em cada momento da sua vida, o ser humano tem capacidade para absorver uma certa quantidade de sofrimento. Quando o limite é largamente ultrapassado, a maior parte das pessoas perde o controlo e pode guardar marcas indeléveis. Quando a intensidade do sofrimento ultrapassa aquilo que cada um de nós pode suportar, é como se algo dentro de nós se quebrasse.
Este limite varia de pessoa para pessoa e de momento para momento. Depende muito da visão que temos do mundo, das nossas crenças religiosas, da nossa capacidade de altruísmo e do sentido que atribuímos à vida. Uma pessoa cujo único objectivo seja o seu próprio prazer está muito mal preparada para fazer face ao sofrimento e tem uma capacidade de absorção diminuta.
(...)
Quando a intensidade do sofrimento está de acordo com as nossas capacidades e conseguimos manter uma atitude positiva, o sofrimento é um excelente mestre. É ele que lima as nossas arestas, nos dá um pouco mais de humildade e nos prova que não sabemos tudo sobre a vida. O ser humano que foi polido pelo sofrimento ganha profundidade, calor de sentimento e sensibilidade. Quando conseguimos manter uma atitude positiva, o sofrimento faz de nós verdadeiros seres humanos."


Tsering Paldrön in "A Alquimia da Dor